sábado, 30 de julho de 2011

Honestidade

Honestidade é falar o que é pensado e fazer o que é falado. É quando não há contradições em pensamentos, palavras e ações. Tal harmonia proporciona clareza e funciona como um exemplo vivo.

A honestidade é tão nítida quanto um diamante sem falhas, não pode ficar oculta. Ela cria uma vida de integridade porque o lado interno e o externo são como uma só imagem no espelho. O valor é visível nas ações daquele que é honesto. Força interior cria um oásis de recursos espirituais, dando confiança para alicerçar a auto-estima. Isso é ser assertivo.


Honestidade é quando não há influência das negatividades do mundo interior e exterior. É quando há limpeza nos esforços e verdade no coração. Limpeza significa descobrir e mudar os pensamentos a atos que maculam o eu e criam negatividade nos outros.


Honestidade verdadeira é aquela que coexiste no coração e na razão. Quando o espelho do eu está claro, os sentimentos e os motivos são facilmente visíveis. Esta é a base de ser confiável.

Há o ditado que diz: o barco da verdade pode sacudir, mas nunca afundará. Mesmo com honestidade o barco pode sacudir, mas com confiança o barco não afundará. A coragem da verdade é o que torna alguém digno de confiança e a fundação dos relacionamentos sem manchas. Onde há honestidade e limpeza, há proximidade. São esses os princípios da ética humana. Aplicação pessoal e coletiva de tal ética é decidir escolher o que é útil e importante a cada passo. É nunca dissociar a honestidade e a integridade do sucesso.

Quem é honesto consigo e com os outros ganha confiança e inspira fé. Para sustentar isso é preciso haver motivos puros e esforços consistentes.

Uma pessoa honesta aprecia a interconexão do mundo natural e não maltrata, abusa ou desperdiça a riqueza de recursos fornecidos para o bem-estar da humanidade. Ela não pressupõe ser dela própria os recursos, tais como a mente, corpo, riqueza, tempo, talentos ou conhecimento.

Honestidade significa nunca abusar daquilo que é dado em confiança. Deveria sempre haver o desejo de que os recursos sejam usados de uma forma valiosa - para as necessidades físicas e espirituais de todos. Quando os recursos são bem utilizados eles geram bem-estar e este é o meio para haver multiplicação e prosperidade. Aquele que é profundamente comprometido com o desenvolvimento sustentável mantém honestidade como um princípio na construção de um mundo com menos desperdício e mais esplendor.

Brahma Kumaris

Aceitando as diferenças

É incrível como nosso relacionamento com as outras pessoas é, na realidade, uma espécie de monólogo no qual esperamos encontrar no outro um espelho de nós mesmos. Isso só ocorre porque somos inseguros e toleramos mal as diferenças de opinião – que nos deixam em dúvida sobre nossas próprias posições – e nos lembram a condição de solidão, da qual tentamos fugir o tempo todo.

Se não somos iguais, cada vez que conhecemos uma pessoa temos de nos dedicar a tentar saber quem ela é. Sim, porque já sabemos que não é obrigatório que ela pense, sinta, julgue e aja como nós. É evidente que deve haver alguns pontos em comum; porém, o importante é detectar com precisão as diferenças, condição indispensável para podermos fazer previsões em relação aos possíveis comportamentos dessa pessoa. Assim, iniciamos o processo de entrar em sua alma, descobrir como ela funciona e, por alguns minutos, vivenciar as coisas sob aquele ponto de vista. A isso chamamos de empatia.


Este processo é completamente diferente de se colocar no lugar do outro levando nossa experiência e nossos pontos de vista. Trata-se de entrar no sistema de pensamento da outra pessoa e pensar segundo as regras que a norteiam. É evidente que se trata de algo mais difícil, já que o modo de ser e de pensar de cada um de nós é fortemente influenciado por aquilo que passamos ao longo dos anos. É difícil conseguirmos nos intrometer na subjetividade de outra pessoa sem cometer alguns equívocos.


Aquele que quiser compreender seu semelhante – mas não igual – terá de se conscientizar de que fazer um juízo moral a respeito de sua forma de pensar tem muito pouca serventia. Entrar na alma do outro é fazer uma viagem totalmente diferente, onde o que interessa é conseguir sentir como o outro sente, pensar como o outro pensa, julgar como o outro julga. Com isso poderemos nos sentir próximos dessa pessoa por um certo tempo, compreendê-la e até mesmo nos sentir solidários a ela. Isso não significa, entretanto, que devemos aceitar todo tipo de comportamento ou nos livrarmos das nossas preocupações éticas.


É evidente que teremos maiores afinidades com aqueles que têm um modo de avaliar as coisas mais ou menos parecido com o nosso. Devemos, porém, tentar compreender aqueles que são bastante diferentes de nós. Isso provocará um enorme enriquecimento da nossa vida interior, pois por meio desse tipo de experiência poderemos vivenciar outros modos de existir e de pensar sobre nossa condição. Compreender e se comunicar com todos os tipos de pessoa será sempre uma empreitada engrandecedora. Por essa via poderemos acumular um conhecimento de vida muito mais rico do que com uma atitude crítica que, na verdade, exclui e despreza tudo e todos que não forem como nós somos.

Flávio Gikovate

Autoconfiança

O quanto você confia em si mesmo? Autoconfiança é importante para todas as pessoas, é uma questão de sobrevivência. A premissa básica é que ninguém consegue transmitir confiança se não confia em si mesmo, seja na relação pessoal ou profissional.

A insegurança, ou falta de confiança em si mesmo, pode trazer algumas características como medo de amar, da mudança, de cometer erros, da solidão, de assumir responsabilidades. O inseguro não confia em seu valor pessoal, não acredita em sua capacidade. Em vez de se unir pelo amor, se une pela insegurança, o que o faz controlar as atitudes, quando não os sentimentos do outro. Controla e vigia em razão das dúvidas que tem sobre si mesmo, criando cobranças, conflitos e muitas dificuldades em seu relacionamento. É como se quisesse uma certeza daquilo que não encontra dentro de si.


A falta de autoconfiança pode se manifestar em sentimentos de incapacidade, impotência, e dúvidas paralisantes sobre si mesmo. Nunca possui certeza suficiente e quer sempre se certificar das coisas e controlar as pessoas. É excessivamente cauteloso e vigilante, desconfia de tudo e de todos, como reflexo de falta de confiança em si mesmo. Quem não confia em si, sente dificuldade para enfrentar desafios e, cada fracasso, confirma uma sensação de incompetência, trazendo muito sofrimento.


A insegurança pode chegar a tal ponto de fazer com que a pessoa, na ânsia de ser amada, transforme a necessidade natural de amar em uma necessidade doente, alcançada pela possessividade. Mas quando começa a se formar a autoconfiança? Na infância. Pessoas inseguras podem ter tido uma educação autoritária dada pelos pais. Educar, ensinar, colocar limites, todos sabemos que são fatores importantes na educação, mas limitar o desenvolvimento natural do outro, é torná-lo tão inseguro quanto uma educação super protetora.


As pessoas que confiam em si mesmas são decididas, sem serem arrogantes ou defensivas, e se mantêm firmes em suas decisões; apresentam-se de maneira segura, têm presença; são capazes de se expor; são eficientes, capazes de enfrentar desafios e tomar decisões sensatas mesmo sob pressão. Pessoas autoconfiantes inspiram confiança nos que as rodeiam. Mas é preciso ficar atento entre demonstrar que confia em si e realmente confiar. Como também a confiança em excesso pode ser um problema, pois o excesso de autoconfiança pode gerar imprudência e parecer arrogância, que é fruto da ignorância, muitas vezes de si mesmo.


A autoconfiança é resultado da auto-estima e nunca é herdada, é aprendida. A auto-estima inclui a avaliação subjetiva que uma pessoa faz de si mesma. É ter consciência de seus valores e só quando temos essa consciência é que podemos confiar naquilo que somos capazes.


Os maiores inimigos da autoconfiança são: a cobrança interna e externa exagerada, o perfeccionismo, o medo, a crítica, rigidez, comparação, inveja, dúvida e também a necessidade de aprovação e reconhecimento, pois tudo isso dificulta a mudança e o desenvolvimento. A autoconfiança é um atributo importante porque a falta da opinião nas consequências de uma ação cria tensão, que aumenta a probabilidade de fracasso, causando assim uma pessoa depressiva.


Por que a autoconfiança está diretamente relacionada com o autoconhecimento? Não podemos confiar em nós mesmos sem nos conhecermos. O autoconhecimento é importante para tudo na vida e requer um constante exercício diário de reflexão. Quem não se conhece não se ama, não muda, não cresce. O caminho mais indicado para elevar o autoconhecimento é o diálogo interno. É isso mesmo, conversar consigo mesmo. As pessoas querem falar, serem ouvidas, mas não se ouvem. É preciso aprender a ouvir a própria voz, que ora vem do coração, da alma, ou seja, suas emoções; ora de sua mente, sua razão. Só quando ouvimos razão e emoção conseguimos atingir o equilíbrio.
E que diferença isso faz!
Rosemeire Zago

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Por onde anda sua humildade?

Por que é tão difícil encontrarmos pessoas que tenham a humildade em suas características? O orgulho, a vaidade, o poder, a soberania e arrogância parecem sempre se sobrepor nas relações humanas. Algumas pessoas consideram o humilde como um ser menos digno, com menos potencial, menos capaz. Quanta ignorância! E assim querem ser tudo, menos humildes. Pisam nos outros, como se estivessem lidando com seres isentos de qualquer sentimento.
Na verdade, tratam aos outros dessa maneira, pois não consideram os próprios sentimentos, pois ter sentimento pode representar ser fraco. Não respeitam nada nem ninguém, pois também não se respeitam. Apenas estendem aos outros a maneira como foram tratadas na maior parte de suas vidas, e infelizmente, como ainda se tratam. No fundo, sentem que não são merecedores de amor e assim se tornam incapazes de amar, tornando as relações com quem se envolvem como grande fonte de sofrimento.

A pessoa arrogante, orgulhosa, não conquistou a humildade, pois não sabe apreciar e valorizar a simplicidade. Tem sempre que demonstrar seu ar de superioridade, menosprezando quem está ao seu lado, pois acredita ser esse o caminho que irá garantir ser reconhecido. Desprezar o outro, o faz acreditar que é melhor, superior.


Claro que falar de humildade não torna ninguém humilde. Mas por que é tão difícil praticar a humildade? Nossa sociedade ainda e, infelizmente, associa humildade com inferioridade, fraqueza, submissão e até pobreza. Quando, na verdade, está relacionada com distinção, respeito, gentileza, sensibilidade, graciosidade, simplicidade e, principalmente, autoconhecimento! Afinal, quem tem plena consciência do seu valor pessoal não precisa se exaltar, se mostrar aos outros, nem se comparar. Não precisa gritar para que todos ouçam o quanto é melhor! Não sente necessidade de exibir sua capacidade, seu poder, prestígio ou cultura, porque tem consciência de seus valores internos. Não precisa diminuir o outro para que consiga se elevar.


As pessoas humildes realçam e valorizam as pequenas grandes conquistas do dia-a-dia em sua essência. Tratam as outras pessoas como seres dignos de respeito, pois possuem a capacidade de se colocarem no lugar do outro em seu sofrimento. E você, como se comporta perante o sofrimento de quem ama e das pessoas que sequer conhece? Como trata as pessoas que estão à sua volta? Como valiosos presentes em sua vida ou como se estivessem sempre atrapalhando? Como enfrenta as dificuldades que surgem em seu caminho? Como trata aqueles que por vezes o machucam? Com humildade, serenidade, confiando em sua capacidade de superar e aprendendo com cada uma dessas pessoas ou julgando-as e condenando-as? Por que, por vezes, se torna tão complicado ser flexível diante de alguns acontecimentos? Por que tendemos agir por impulsividade, sem pensar e sem analisarmos as próprias atitudes, como se só o outro fosse errado? Por sermos superiores? Sermos o certo? Quem nos garante que agimos da melhor maneira? Será que somos honestos com o outro como gostaríamos que fossem conosco? Creio que seja preciso um tempo para refletir sobre essas questões e conseguir responder essas perguntas. Afinal, ninguém é superior a ninguém, apenas podemos, sim, estar em momentos ou estágios diferentes, apenas isso.


Pode ser valioso também aprofundar essa análise em sua infância. Conviveu com pessoas arrogantes, orgulhosas? A criança que convive com o preconceito, incompreensão, críticas excessivas, pais inseguros, inflexíveis, excessivamente exigentes, dominadores, pode ter dificuldade quando adulto de desenvolver a humildade, pois para ser aprovada era necessário muitas vezes ser igual, experimentando sempre uma sensação de carência. Assim, se tornam pessoas orgulhosas, não de quem são, mas de quem acreditam ser.

O orgulho, arrogância, em geral, faz parte de pessoas com pouco autoconhecimento, por não se conhecerem precisam passar uma imagem de pessoas seguras, exatamente ao contrário do que verdadeiramente sentem. Pisam nos outros como sentem que foram pisadas durante parte de sua vida. Estão sempre buscando corresponder às expectativas dos outros para serem aceitas, ignorando os próprios sentimentos e quem são na verdade. Isso pode gerar um sentimento crônico de insatisfação, buscando sempre ser admirada de alguma maneira. Acredita que o externo, com seus aplausos e reconhecimento, através de sua vaidade extrema e pela busca de status, poderão compensar a falta de contato com seu mundo interior, que na verdade, sequer conhece. Com isso, busca transmitir uma imagem idealizada de ser extremamente importante, não importando os meios pelo qual irá atingir essa imagem.
Mas será que vale mesmo a pena ser orgulhoso, arrogante? Será que vale perder um amor por orgulho? Vale perder uma amizade? É mais importante manter sua imagem do que ser humilde o suficiente para admitir seu erro e pedir desculpas? Por que não ser mais amoroso consigo mesmo e aos poucos perceber a riqueza de existe dentro de si? Por que não mudar a maneira de tratar a si mesmo e estender aos outros? Por que não perceber que o aplauso mais significativo com certeza sempre será o seu?
Pense sobre isso, acima de tudo com muita, muita humildade!

Rosimeire Zago

Atitude

Tomar atitude implica em sair da acomodação e rever o planejamento de vida como um todo; sabendo de antemão que dificuldades e obstáculos vão aparecer nesse caminho.

Mas isso não deve ser motivo de desânimo e, sim, um estímulo para vencer todos os limites. Para tomar atitude é bom seguir algumas dicas:

- relacione pendências do passado, do presente e do futuro, priorizando-as para serem resolvidas;

- tenha em mente que o que passou, passou. Não guarde rancor do que está morto e enterrado;

- seja mais discreto e alegre. Idealize o corpo, a mente e o espírito que você gostaria de ter;

- decida não ser mais omisso e fale o que pensa, determinando momento e lugar certo, para quem quer que seja;

- saiba que, quando você questiona, você aprende; quanto mais questiona, mais aprende;

- saiba que você é digno de respeito e que não é justo ser apegado ao trabalho exagerado, à vaidade, ao passado, ao presente e ao futuro;

- execute bem as tarefas hoje; deixe que o amanhã cuidará do resto.

Paulo Zabeu 

Ser feliz ou ter razão? Você escolhe!

No mundo de hoje, as pessoas acabam por deixar a felicidade de lado, para escolherem estarem certas. Isso é fato. Mas por que será que isso acontece?

Não é tão difícil entender a mente humana, é algo de senso comum.


Nossa personalidade tem algumas características em alta, vou citar duas: orgulho e egoísmo. Isso mesmo, dois componentes essenciais para a sua infelicidade. O mais interessante é que as pessoas ainda continuam perguntando:


- Por que não sou feliz?


E a resposta está tão perto, mas elas não enxergam, ou não querem enxergar. Nos relacionamentos afetivos não deve haver espaço para orgulho e egoísmo, pois se for assim, você estará num emaranhado de dor. Ser feliz significa que você deve seguir um caminho mais flexível, pensar a dois. Mas você pode ter razão, e seguir firme e dura em seu propósito com o coração amargurado é claro.


Agora pare tudo e veja.


Hoje você tem uma escolha maravilhosa a fazer: ser feliz ou continuar sendo cabeça dura e achar que a razão é que fala mais alto. Em geral, os homens são mais cabeça dura e mantém essa postura de estarem certos, de ter a razão até o fim, isso vão colocá-los em uma situação de puro sofrimento, pode ter certeza. Mas existem também muitas mulheres que preferem se abdicar da felicidade para terem razão.


Mas o que fazer então?


Às vezes é preciso realizar uma ou outra renúncia em nome do amor e da felicidade. O mais interessante é que você somente aprende isso depois de alguns tombos e atropelos, embora tenha gente que nem assim aprenda. O universo pode lhe dar essa lição de duas formas: pelo amor ou pela dor. Você é que fará a sua escolha.


Se for pelo amor, será bem simples, apenas abra seus olhos, respire fundo, renuncie algumas vezes em nome da harmonia, peça desculpas, e siga em frente, eu te digo: vale a pena.


Se for pela dor, parabéns, você estará imersa na mais profunda angustia, você só tem a perder, e o que perderá é justamente a felicidade, depois não reclame.


Por isso, eu lhe digo, hoje é seu dia, não deixe passar!


Se você brigou com alguém e ainda tem a teimosia dentro de você, criando círculos em sua mente e feridas em seu coração, abandone isso. Chegue mais perto, com aquele jeito especial, diga: me desculpe, ou, eu te amo. Eu tenho certeza, de uma coisa: ter razão é a última coisa que você precisa, quando a felicidade pode estar em suas mãos.


Paulo Valzacchi

Dissolvendo Mágoas

É inevitável que vez ou outra na vida sejamos feridos pelas pessoas. Alguém nos engana, alguém nos trai, alguém nos trata com falta de respeito, desconsidera nossos sentimentos... Eu sei que você já passou por isso em algum momento. Isso não quer dizer, necessariamente, que tenhamos que continuar carregando isso no peito pelo resto de nossas vidas, cultivando mágoas, como fazem tantas pessoas.

O nosso peito é como um grande lago, suave, ladeado por flores, pássaros e todos os tipos de vegetações. Quando alguém nos fere, é como se uma pedra fosse jogada no lago... tudo fica ondulado por alguns instantes, a superfície perde a limpidez, a água fica momentaneamente turva e o vento sopra de uma forma tão gélida que chega a doer.

Mas depois de um tempo, o que naturalmente aconteceria? A pedra atirada ficaria quieta em algum lugar lá no fundo do lago, uma prova de que vivemos intensamente, uma experiência de vida que veio para nos trazer sabedoria. A superfície da água voltaria a ficar lisa como um espelho, a areia levantada voltaria ao fundo e voltaríamos a sentir a plácida paz desse lago sagrado.

Mas algumas pessoas não se conformam. Em vez de aprenderem com o que aconteceu e retornarem a seu estado natural de confiança na vida, querem encontrar a pedra atirada, que agora se encontra perdida lá no meio de seus lagos. E, se possível, gostariam de atirar a pedra de volta, bem no meio da testa do infeliz que ousou jogar a pedra no lago! Ficam andando de lá para cá dentro do lago, cultivando mágoas e pensamentos ruins, ondulando ainda mais a superfície, levantando cada vez mais areia, turvando a água, perturbando a própria paz. Cada vez que se lembram do que aconteceu e de quem as magoou, é como se jogassem novamente a pedra no lago, e de novo, e de novo, e de novo! E a todo momento comprovam o grande estrago que lhes foi causado, e dizem: Vê? Não consigo mais enxergar a minha imagem na superfície do lago!


Na verdade, a pessoa que nos magoou atirou, sim, a primeira pedra, mas a forma como reagimos a isso é o que pode de verdade nos fazer mal. Continuamos impedindo que a paz aconteça, recriamos a mágoa infinitas vezes dentro de nós... Por que fazemos isso?


Fazemos isso porque em algum lugar dentro de nós existe uma crença distorcida de que a vida deve ser sofrida, de que o sofrimento nos torna maiores, mais dignos. Se lá, no nosso íntimo, existisse a crença sorridente de que merecemos ser felizes, simples assim, não perderíamos tempo em nos atormentar dessa forma, em cultivar mágoas que só nos ferem.

Se acreditássemos de verdade que merecemos a felicidade, deixaríamos a pedra lá, no fundo do lago, e sairíamos para encontrar algo melhor para fazer. Também cultivamos mágoas porque nos falta amor, amor por nós mesmos. E foi essa mesma falta de amor próprio que, provavelmente, acabou permitindo que o outro nos ferisse tanto. Quem ama a si mesmo não fica em relacionamentos desrespeitosos, é mais rápido em buscar aquilo que é bom e saudável.

Precisamos parar de nos colocar no lugar de vítimas das situações. Mesmo quando a outra pessoa errou, nos enganou ou o que quer que seja, uma partezinha nossa permitiu que isso acontecesse. Assim, de nada adianta ficarmos repetindo infinitamente em nossas mentes e corações o ocorrido. Isso só nos aprisiona mais e mais.


Muito mais sábio seria tranquilizar a mente até que a superfície do lago voltasse a ser calma como um espelho. E então, sentados em frente a esse espelho, perguntaríamos: Como posso aprender com o que aconteceu? Como posso evitar que volte a acontecer? E depois, seria bom que ficássemos em silêncio, até que a resposta nos venha.


Imagine que as águas de seu lago sejam como um bálsamo sagrado capaz de curar e dissolver pedras. Permita que as mágoas sejam dissolvidas nessa energia que brota de seu coração. Não tenha pressa, leva certo tempo, eu sei, mas até mesmo os maiores rochedos podem ser dissolvidos pela suave persistência da água.


Patricia Gebrim

Corações Machucados

As pessoas estão cheias de feridas ocultas, desconfianças, sobressaltos. E talvez a razão não seja o medo da felicidade, essa teoria simplista alardeada por alguns especialistas em seres humanos. Só teme a felicidade quem acredita – e sentiu na pele – que ela pode nos tornar duramente infelizes no momento seguinte. Antecipamos a dor para não sorvê-la aos poucos qual veneno corrosivo; assim como apressa o orgasmo quem não aguenta sentir prazer.

Somos colecionadores de crenças, teorias, verdades absolutas. Em algum momento de fato precisamos delas, seja para acreditar que nunca mais nos machucaremos novamente, seja para criar defesas intransponíveis e, assim, não despencarmos de vez, seja para anestesiar a sensibilidade debilitada na tentativa de manter as emoções sob controle – como se isso fosse possível. As crenças nos salvam, as verdades absolutas nos mantêm numa zona confortável e as teorias alimentam nossa preguiça. Pra quê? Em nome do quê?

Amar dá muito trabalho mesmo. É preciso ter a força e a coragem de um gladiador e a fragilidade de um cristal. Tão incompatível isso! Ainda largar as muletas da autopiedade, fazer com que o outro entenda nosso coração amedrontado e, o mais difícil, sair da superficialidade, desapegar-se do medo do ridículo e da indescritível sensação da traição em todos os níveis – até os mais sórdidos. Amar é um sonho arriscado demais. Quem garante a sinceridade alheia hoje em dia? São tantas decepções (diria o Rei Roberto neste século).

Esqueça. Não há garantias. E assim continuamos nos privando do mais caro sonho de consumo. Seguimos sobressaltados, machucados, desconfiados… E envergonhados por sermos quem somos. Já que conseguimos a proeza heróica de ceifar todo o mal, melhor mesmo é cortar o bem pela raiz.

Fernanda Santos

A Maturidade Afetiva

A afetividade não está por assim dizer encerrada nos sentimentos, mas permeia toda a personalidade. Estamos continuamente sentindo aquilo que pensamos e fazemos. Por isso, qualquer distúrbio da vida afetiva acaba por impedir ou pelo menos entravar o amadurecimento da personalidade como um todo.

Observamos isto claramente no fenômeno de "fixação na adolescência" ou na "adolescência retardada". O adolescente caracteriza-se por uma afetividade egocêntrica e instável. Essa característica, quando não superada na natural evolução da personalidade, pode sofrer uma "fixação", permanecendo no adulto: este é um dos sintomas da imaturidade afetiva.

É significativo verificar como essa imaturidade parece ser uma característica da atual geração. O homem, esse desconhecido: vivemos hoje o drama de um desnível gritante entre o fabuloso progresso técnico e científico e a imaturidade quase infantil no que diz respeito aos sentimentos humanos.

Mesmo em pessoas de alto nível intelectual, ocorre um autêntico analfabetismo afetivo: são indivíduos incompletos, mal-formados, imaturos que estão preparados para trabalhar de forma eficiente, mas são absolutamente incapazes de amar. Esta desproporção tem consequências devastadoras: basta reparar na facilidade com que as pessoas se casam e se "descasam", se "juntam" e se separam.

O conceito de amor que se cultua na nossa época parece que se retrocedeu a uma espécie de adolescência da humanidade, onde o que mais conta é o prazer. Este fenômeno tem inúmeras manifestações.

- Edifica-se a vida sentimental sobre uma base pouco sólida: confunde-se amor com namoricos, atração sexual com amor profundo. Incapazes de um amor maduro, pessoas acham que é mais fácil conquistar do que manter a conquista.

- Diviniza-se o amor: a pessoa imatura idealiza a vida afetiva e exalta o amor conjugal como algo extraordinário. O amor é uma tarefa esforçada de melhora pessoal durante a qual se burilam os defeitos próprios e os que afetam o outro cônjuge.

- No imaturo, o amor fica "cristalizado” na fase de deslumbramento, e não aprofunda na "versão real" que o convívio conjugal vai desvendando. Quando o amor é profundo, as divergências que se descobrem acabam por superar-se.

- A pessoa afetivamente imatura desconhece que os sentimentos são dinâmicos. A pessoa madura sabe que o amor se constrói dia após dia, lutando por corrigir defeitos, contornar dificuldades, evitar atritos e manifestar sempre carinho.
- O imaturo quer antes receber do que dar. Amar para ele é uma forma de satisfazer uma necessidade afetiva, sexual, ou uma forma de auto-afirmação.

Os sentimentos são caminho de ida e volta, onde deve haver reciprocidade. A pessoa imatura acaba sempre queixando-se da solidão que ela mesma provocou por falta de espírito de renúncia. A nossa sociedade esqueceu quase tudo sobre o que é o amor. Não há felicidade se não há amor e não há amor sem renúncia. O imaturo pretende introduzir o outro no seu projeto pessoal de vida, em vez de tentar contribuir com o outro num projeto construído em comum. A felicidade do cônjuge, da família e dos filhos: esse é o projeto comum do verdadeiro amor. Quem não é solidário termina solitário.

Rafael Llano Cifuentes

Calúnia

Pessoas que vivem na ausência do bem e do amor utilizam uma das práticas mais antigas e constantes na história da humanidade para tentar ferir aos outros: a prática da calúnia e difamação.

Quem ama não calunia, como bem propunha o apóstolo Paulo em seu consagrado texto aos Coríntios sobre o amor. Esse texto não trata apenas do amor romântico, como muitas vezes se supõe, é muito mais abrangente e deveria fazer parte do código de conduta de todos nós, independentemente da escola religiosa a que pertençamos. O fato é que o amor não calunia, nem difama. Calúnia e difamação são frutos de mentes e corações distantes do amor.


A calúnia e difamação são da família da inveja, do ódio, do egoísmo e do orgulho. São as armas prediletas para atacar as pessoas de bem; afinal, não se pode caluniar uma má pessoa, isso não seria calunia, apenas constatação.


Na impossibilidade de ferir as pessoas corretas através da verdade, uma vez que sua conduta não permite, essas pessoas “doentes” utilizam-se da mentira sob o formato de calúnia e difamação (crimes constantes em nosso código penal). Criam, inventam, aumentam, distorcem e fazem tudo o que seja necessário para tentar sujar a imagem de seus desafetos.


Essa prática é muito mais comum do que gostaríamos, circula em suas formas mais populares e cotidianas, através da fofoca, por exemplo. - raramente uma fofoca é fiel à realidade, vem sempre associada ao fel da maldade e ao sabor da inveja... - circula também em suas formas mais elaboradas, onde verdadeiros planos e complôs são armados para atingir pessoas-alvo.


Se você for vítima de calúnia e difamação, o que fazer? Sua reação deve ser proporcional ao dano causado pela calúnia:


- Se as pessoas para as quais forem ditas calúnias a seu respeito, conhecem você suficientemente bem, não faça nada. O caluniador está passado seu próprio atestado de mau caráter.

- Quanto às pessoas que não conhecem você tão bem, explique-se somente àquelas que merecem sua consideração, respeito e estão diretamente envolvidas com você.



- No trabalho, justifique-se somente com as pessoas às quais você responde hierarquicamente e colegas verdadeiros. Esclareça as calúnias que podem prejudicar você profissionalmente. Mantenha tudo na esfera profissional, trate dos fatos, não das pessoas caluniadoras.

- Se os prejuízos atingem sua liberdade ou prejudica gravemente o desenvolvimento normal e saudável de sua vida pessoal e profissional, contrate um bom advogado e aja judicialmente.

- Nos demais caso e, para as demais pessoas, não faça nada! Não se justifique, explique... - nada, absolutamente nada. Pessoas que não te conhecem, à medida que te conhecerem, saberão que o que ouviram era calúnia. Caluniadores são sempre desmascarados com o passar do tempo, são prisioneiros de sua deformação de caráter. Eles repetirão o erro e por repeti-lo várias vezes serão descobertos, como ocorre com os mentirosos.



Lembre-se de quatro questões muito importantes: 

-  Ninguém e nada do que disserem a seu respeito poderá diminuir o seu real valor.

- Nada nem ninguém podem fazer você se sentir inferior, magoado ou depressivo sem que você permita.
 
- O tempo é o maior aliado da verdade. Nenhuma mentira, calúnia ou difamação resistem à ação do tempo!

- Sua melhor resposta é sua história de vida. Viva como alguém moralmente superior, pratique a virtude, ame e faça o bem e nada poderá destruir esse patrimônio espiritual!

Na vida encontramos dois grupos de pessoas: as interessantes, que fazem as coisas acontecerem; e as desinteressantes que tentam impedir o sucesso do primeiro grupo. Essas pessoas que estão ocupadas demais inventando coisas sobre sua vida são muito pobres, não possuem nada de interessante em suas próprias vidas, por isso estão tão interessadas na sua!


Carlos Hilsdorf

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Saudade

Saudade é solidão acompanhada,
é quando o amor ainda não foi embora,
mas o amado já...

Saudade é amar um passado que ainda não passou,

é recusar um presente que nos machuca,
é não ver o futuro que nos convida...

Saudade é sentir que existe o que não existe mais...


Saudade é o inferno dos que perderam,

é a dor dos que ficaram para trás,
é o gosto de morte na boca dos que continuam...

Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:

aquela que nunca amou.

E esse é o maior dos sofrimentos:

não ter por quem sentir saudades,
passar pela vida e não viver.

O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido.



Pablo Neruda

terça-feira, 26 de julho de 2011

Admita Seus Erros

Admita seus erros, perceba seus pontos falhos, e eles perderão o controle que têm sobre você. Todos cometem erros. Na verdade, você pode estar mais errado do que certo. A chave é reconhecer os erros e retomar o rumo.

Se você toma uma direção errada, você não precisa continuar seguindo esse caminho. Dê a volta e retorne à estrada. Quanto mais cedo você estiver no seu rumo original, mais cedo você chegará ao seu destino.


Talvez você tenha tido um dia ruim. Talvez você não tenha conseguido o que se propôs a alcançar no dia de hoje. Não desperdice o amanhã debatendo-se no mesmo ponto. Continue sua jornada. Continue do ponto onde parou e deixe os obstáculos para trás. Siga em frente. Mesmo quando ficar para trás, siga em frente.


É você quem determina a direção da sua vida. Não importa onde você esteja, você sempre poderá mover-se na direção dos seus objetivos e dos seus sonhos.


(A.D.)

Otimismo

Ser otimista é um estado de espírito. É coisa sua. Uma esperança que somente você entende. Um desejo de vencer que não pode ser explicado.

Uma certeza intima, profunda. Também o seu relacionamento com Deus é algo próprio. Apenas você é capaz de compreendê-lo.


Nenhuma outra pessoa pode senti-lo como você o sente. Esforce-se por transmitir aos outros o que lhe vai na alma. Eles precisam saber como você é.


Isto lhes faz bem. Ajuda-os a crescer. Deus é o mesmo em todas as pessoas, mas cada um sente de maneira especial. Gotas de Esperança uma coisa é você achar que está no caminho certo.

Outra é achar que o seu caminho é o único.

Nunca podemos julgar a vida dos outros. Porque cada um sabe da sua própria dor e renúncia.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Sonhos

A gente só da conta dele quando acorda…
Depois que ele acabou…
E fica aquela vontade de sonhar mais um pouquinho…
Existem pessoas que são um sonho…
Um sonho pelo qual a gente dormiria a vida toda.
Mas, vem o amanhecer e nos leva aquele sonho tão bom….
Existem pessoas que são estrelas…
Lindo brilho que iluminam as noites de nossas vidas.
Mas, vem o amanhecer e sua claridade
nos rouba aquele brilho tão lindo…
Existem pessoas que são flores…
Beleza discreta que alegram nosso caminho.
Mas, vem o tempo e as flores murcham
e nos enchemos de saudades de sua cor e de seu perfume…
Existem pessoas que são simplesmente AMOR…
Nem sempre doce como o mel de uma flor…
Nem sempre brilhante como uma estrela…
Nem sempre chegando a nós como um sonho….
Mas verdadeiras !…
E ainda bem que são simplesmente AMOR !
Pois flores, estrelas e sonhos mais
cedo ou mais tarde terminam…
Mas o AMOR, a essência da verdade,
este não termina nunca !….

Fonte: blig.ig.com.br

O tempo Não Cura Feridas

Acreditar que somente o tempo seria capaz de mudar uma vida,
concertar um erro, refazer uma história, seria talvez,
sinônimo de estupidez, ou até mesmo ingenuidade.
O tempo por si só seria incapaz de tanto;
Nada será resolvido até que você realmente permita que seja,
até que você verdadeiramente queira.

Acredito que o tempo é capaz de amenizar uma dor,
mas jamais abafá-la;
Acredito que o tempo tranquilize um conflito;
mas jamais acabaria com a guerra;
O tempo pode te fazer crescer;
mas para amadurecer, só depende de você.

O Tempo não cura, nem nunca irá curar feridas.
Se você quer realmente alguma mudança na sua vida,
busque, corra atrás, e acredite que você é capaz,
que realmente é forte, e que pode ir muito mais além, BASTA CRER .

Se você está disposto a fechar as suas feridas, tenha determinação,
vontade, sopre as cinzas do passado,
aproxime-se de si mesmo, se necessário isole-se,
afaste-se de tudo e encontre-se consigo mesmo.

"Não espere do tempo, aquilo que só você pode fazer!"

Talvez Um Dia

Talvez um dia o encanto acabe e o elo que nos une seja quebrado.
Pode ser que as cobranças se tornem constantes e as brigas sejam frequentes. Discordaremos de coisas que concordávamos outrora, a tolerância não será mais a mesma. Pode ser que seus olhos não brilhem mais ao me ver, e meu coração não bata mais forte ao ouvir seu nome.
Veremos que a  sintonia que tínhamos foi perdida. A cumplicidade não será mais a mesma, e iremos perceber que um abismo foi criado entre nós.
Não teremos a sensação de que o tempo corre devagar quando estamos longe, de que as horas são tão longas.
Em algum momento irei decepcioná-la, então você perceberá que não sou "perfeito" como pensavas. Os defeitos que antes eram quase imperceptíveis se tornarão visíveis. Perceberemos que não somos tão parecidos quanto pensávamos.
Não serei mais o causador dos seus sorrisos bobos, nem conseguirei dizer as palavras que lhe arrancaram suspiros em outros momentos.
Juras de amor não serão mais trocadas e lembraremos que o pra sempre, sempre acaba.

E se esse dia chegar, se essa hipótese se tornar realidade...

Eu quero que você tenha a certeza de que, todos os "eu te amo" que eu lhe disse, foram sinceros e que não me arrependo de tê-los dito. Prometo que guardarei os bons momentos. Lembrarei de você com carinho, sem magóas ou ressentimentos.

Sabe o que é sofrer?

Sofrer é fingir uma felicidade ilusória. É ter um amor platônico. É ser injustiçado. Sofrer é querer gritar para o mundo inteiro que você ama uma pessoa, mas nunca falou antes porque tem medo de perder sua amizade. Sofrer é repartir um pão com toda a família. Sofrer é recorrer a um passado cheio de tristeza, para ver qual é o pior, o passado ou o presente.
Sofrer é não viver!

sábado, 23 de julho de 2011

Procure se conformar

Procure se conformar, são poucos aqueles que realmente se importam com os seus sentimentos.

Já tomei

Já tomei tanto cuidado para não magoar certas pessoas, e no fim, elas que me magoaram.

(querosinceridade)

As consequências

As consequências de nossos atos são sempre tão complexas, tão diversas, que predizer o futuro é uma tarefa realmente difícil.

Foi um momento

Foi um momento estranho quando olhei no espelho e imaginei a cicatriz na minha testa, foi aí que percebi que eu nunca mais faria essa maquiagem outra vez.
Daniel Radcliffe

No final

No final, tudo vai dar certo.

Pense

Pense: Quem te esqueceu rápido, nunca se importou demais com você.

Você julga

Você julga a aparência por fora por não saber o quanto é lindo por dentro!

Só existe

Só existe uma coisa melhor do que um futuro brilhante: Esfregá-lo na cara de quem duvidou dele.

Uma dor universal

Uma dor universal: Saber que a pessoa que você tanto ama, pode ser feliz sem você.

Você vai

Voce vai encontrar muitos inimigos em seu caminho, mas também vai encontrar amigos, poucos, mais verdadeiros.

Quando eu optar

Quando eu optar pelo silêncio, pode ter certeza que milhões de coisas estão passando pela minha mente.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Ela sabe

Ela sabe ser encantadora. Consegue ser menina e mulher. Confia no seu potencial e não se deixa abalar por opiniões alheias. Sabe usar seu charme pra conseguir o que quer. Anda sempre com um sorriso no rosto pra evitar comentários a seu respeito. É discreta e não gosta de chamar atenção. Sabe perder, e reconhece quando não é bem vinda. Não tem vergonha de assumir seus erros, muito menos de pedir desculpas. Ela é diferente, é especial. Ela é ela sem medo de ser feliz, e é isso que a torna diferente das outras.

O pior sentimento

O pior sentimento é aquele em que percebemos que você não significa mais a mesma coisa de antes.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

As vezes é preciso

Às vezes é preciso se acostumar com a ausência daquelas pessoas, que mesmo sem se despedir, se vão.

A única razão

Acho que a única razão de sermos tão apegados em memórias, é que elas não mudam, mesmo que as pessoas tenham mudado.

Aprendi

Aprendi que certas pessoas vão embora da nossa vida de qualquer maneira, mesmo que desejemos retê-las para sempre.

Eu to com aquela vontade

Eu to com aquela vontade de desaparecer, sabe? O medo de ser deixada de lado é tão grande, que a única forma que eu encontro, é me afastar, pra não me machucar lá na frente.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Você pode

Você pode até tentar me derrubar, e talvez até consiga. Só te digo uma coisa, se você conseguir, te puxo junto.

A Bela e a Fera

Fera: eu quero fazer alguma coisa por ela... mas o que?
Relógio Horloge: bem, tem as coisas comuns: flores, chocolates, promessas que você não tem a intenção de manter.
 
A Bela e a Fera

domingo, 17 de julho de 2011

A procura de ajuda

A procura de ajuda eu encontrei você, será que não entende? Você é a unica esperança.
O Rei Leão

É impressionante

É impressionante como as pessoas apontam seus defeitos, sem ao menos se importar com os delas.

Eu acredito sim

Eu acredito sim no príncipe encantado, não naquele de cavalo branco e com roupa real, mas sim, naquele que não vai se importar com meus defeitos, que vai valorizar minhas qualidades, sentar comigo no sofá para assistir aquele filme romântico, sair para jantar com a minha família maluca, e acima de tudo, não mentir quando disser que me ama.

Você tem duas escolhas

Você tem duas escolhas: Agradar as pessoas ou viver. Eu decidí viver.

A única coisa

A única coisa que te impede de conseguir é não tentar.

(Tinker Bell)

Lembre-se

Lembre-se: Para toda cicatriz, existe uma história.

As Vezes

Ás vezes quem está destinado á nós, não é opríncipe encantado, mas sim o vilão da história. Algumas não nasceram para serem princesas, para suspirarem pelo homem perfeito, para irem ao baile e tropeçarem no amor de sua vida. Elas apenas nasceram para amar aquele que implora por um pouco de amor. Aquele que sofre, mas não dá o braço a torcer. Aquele que chora e não deixa os vestígios de suas lágrimas. Amar aquele que a fará de seu coração um caus. De sua vida um desastre. De seus sonhos, pesadelos. Uma missão quase impossível para quem tem olhos. Mas afinal de contas, não é atoa que o amor é cego. E quando tudo chegar ao fim o vilão e a mocinha terão o mesmo encaixe no coração. Como peças perfeitas de um quebra cabeça. Só que este enfim, começará uma nova história, a de felizes para sempre.

(QUGA)

sábado, 16 de julho de 2011

Se for para

Se for para fingir que gosta de mim, eu prefiro que nem goste.

Pessoas invejosas

Pessoas invejosas, hipócritas e mau caratér, merecem o meu desprezo.

É hora

É hora de tratar as pessoas, com o mesmo grau de importância, com a qual, elas me tratam.

Acho incrível

Acho incrível, a capacidade de como, algumas pessoas que nem me conhecem, olham para mim pela primeira vez, e já vão me julgando, me chamando de falsa e dizendo que não gostam de mim. Acho lindo isso.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

quinta-feira, 14 de julho de 2011